Líder do PS considera positivo acordo para a transferência do fundo de pensões

O secretário-geral do PS considerou hoje "importante" o acordo alcançado pelo Governo para a transferência do fundo de pensões das bancas, mas advertiu que o dinheiro deverá servir em última instância para apoiar a actividade empresarial.

A posição de António José Seguro foi assumida após a aprovação do Orçamento em votação final global, depois de confrontado com o anúncio feito pelo ministro de Estado e das Finanças, Vítor Gaspar, sobre a existência de acordo para a transferência do fundo de pensões da banca.

"Parece-me importante que tenha havido um acordo entre o Governo e os bancos no que diz respeito ao fundo de pensões, mas desconheço os pormenores do acordo e também me parece importante que uma parte desse dinheiro possa servir para pagar dívidas. Se as empresas públicas pagarem essas dívidas aos bancos, isso significa que os bancos ficam com mais dinheiro para poder injectar na economia, ou seja, apoiar a actividade das empresas", reagiu o líder socialista.

António José Seguro disse depois que "há meses" que insiste na necessidade se injectar liquidez nas empresas.

"Por isso, mantenho a minha crítica: Houve um excesso de precaução por parte do Governo, não apenas na elaboração do Orçamento para 2012, como na criação de uma sobretaxa neste Natal sobre os rendimentos do trabalho", afirmou.

Para o líder do PS, com a transferência do fundo de pensões, "era possível ter evitado o corte de 50 por cento nos subsídios de Natal dos trabalhadores portugueses e reformados".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG