JSD quer responsabilizar criminalmente José Sócrates

O líder da Juventude Social-Democrática (JSD), Duarte Marques, apelou hoje ao Procurador-Geral da República para que investigue a eventual responsabilidade do anterior governo e, em particular, do ex-primeiro-ministro, José Sócrates, pela situação económica do país.

Numa reacção ao anúncio das medidas anunciadas quinta-feira pelo primeiro-ministro, Duarte Marques disse à Agência Lusa que as "medidas são muito duras" e mostram "o ponto a que o país chegou".

Nesse sentido, o líder da JSD disse que vai enviar em breve uma carta ao Procurador-Geral da República, Fernando Pinto Monteiro, na qual fará um apelo à investigação e à criminalização de eventuais responsáveis pela situação do país.

"Apelamos ao PGR que, à semelhança do que já anunciou noutros casos no passado, investigue a situação e que leve ao banco dos réus os verdadeiros culpados da situação a que o país chegou, como o próprio ex-primeiro-ministro que neste momento está a passear em Paris enquanto os portugueses veem os seus bolsos esvaziar a cada dia que passa", frisou.

Para Duarte Marques, "é tempo de acabar com esta pouca-vergonha" e não deixar que os responsáveis saiam impunes".

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.