Lello quer que o PS vote contra OE2012

O deputado socialista vai defender que o PS vote contra a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2012, alegando que se baseia em linhas "falsas, manipuladas, terroristas" e sem sensibilidade social.

Numa posição transmitida à agência Lusa, o ex-secretário nacional do PS para as Relações Internacionais refere que, inicialmente, defendeu que os socialistas se abstivessem perante a proposta do Governo PSD/CDS.

"Por essa via, o PS daria um contributo para a viabilização do Orçamento, dando uma imagem de consenso político para os mercados e os analistas externos. No entanto, face a esta proposta de Orçamento terrorista, baseada em argumentos falsos e manipulados, [o primeiro-ministro] Passos cortou o passo a qualquer posição cooperante", refere o deputado socialista.

Nas actuais circunstâncias, segundo José Lello, "só restará ao PS votar contra um Orçamento pautado pela insensibilidade social e pela ausência de medidas para o crescimento económico e criação de emprego".

"Será um voto contra uma estratégia menor e recessiva", acrescenta.

Quarta-feira, na TSF, o secretário-geral do PS, António José Seguro, considerou extremamente reduzidas as possibilidades de o PS votar contra a proposta do Governo de Orçamento.

Hoje, após o debate quinzenal na Assembleia da República, António José Seguro frisou que o PS só decide o seu sentido de voto depois de analisar a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2012.

"Sou um homem de uma só palavra. O que digo hoje é o que disse ontem, anteontem e sempre: o PS só divulga e define o seu sentido de voto depois de conhecer a proposta de Orçamento, que apenas será entregue no Parlamento na próxima segunda-feira", declarou.

Exclusivos