Frente Comum promete mobilização contra novas medidas

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública condenou hoje o corte dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos em 2012 e prometeu mobilizar os trabalhadores para lutarem contra elas.

"A Frente Comum condena estas medidas, considera que são mais uma afronta aos trabalhadores da Função Pública, por isso vamos mobilizar os trabalhadores para lutar contra estas políticas", disse à agência Lusa a coordenadora da Frente Comum Ana Avoila.

O primeiro-ministro fez hoje uma declaração ao país em que revelou que o Orçamento do Estado para 2012 prevê a eliminação dos subsídios de férias e de Natal de todos os funcionários da Administração Pública e das empresas públicas com salários acima de mil euros.

Ana Avoila acusou o Governo de estar a aproveitar-se da crise para pôr em prática "uma alteração de regime e instalar políticas de direita".

Pedro Passos Coelho anunciou também que serão eliminados os subsídios de férias e de Natal a "quem tem pensões superiores a mil euros" e explicou que "os vencimentos situados entre o salário mínimo e os mil euros serão sujeitos a uma taxa de redução progressiva, que corresponderá em média a um só destes subsídios".

"Vamos lutar contra isto porque estão em causa os direitos dos trabalhadores da função pública, dos utentes dos serviços públicos e a própria democracia", disse a coordenadora da Frente Comum garantindo uma resposta já para dia 21.

A estrutura sindical já tinha marcado um plenário nacional de trabalhadores para esta data, que será seguido de um desfile até ao Ministério das Finanças.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG