Relação do Porto reduz para dois dias apresentação de Manuel Godinho às autoridades

O Tribunal da Relação do Porto (TRP) decidiu que o principal arguido do processo Face Oculta não necessita de se apresentar diariamente às autoridades como medida de coação, devendo agora fazê-lo apenas às terças-feiras e sábado, disse à Agência Lusa o seu advogado.

Artur Marques referiu que havia recorrido em março das medidas de coação impostas pelo Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) ao empresário de Ovar, tendo quarta-feira sido notificado que a Relação do Porto decidiu "diminuir de sete dias da semana para apenas dois por semana a apresentação do arguido às autoridades".

Segundo o advogado, esta foi a única alteração verificada nas medidas de coação que haviam sido aplicadas pelo juiz do TCIC, Carlos Alexandre, já que se mantém a proibição de Manuel Godinho de se ausentar da sua área de domicílio e de contactar outros arguidos e testemunhas do processo Face Oculta, cujo julgamento se iniciou esta semana em Aveiro.

O caso 'Face Oculta' está relacionado com uma alegada rede de corrupção que tinha como objetivo o favorecimento de um grupo empresarial de Ovar ligado ao ramo das sucatas nos negócios com empresas do setor empresarial do Estado e privadas. No banco dos réus estão hoje sentados 11 dos 36 arguidos (34 pessoas e duas empresas) que respondem por centenas de crimes de burla, branqueamento de capitais, corrupção e tráfico de influências.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG