Paulo Penedos: "A minha intervenção foi como advogado"

O co-arguido no processo "Face Oculta" Paulo Penedos insistiu hoje que trabalhou com Manuel Godinho apenas como advogado e não, ao contrário do que defende a acusação, como peça da "rede tentacular" alegadamente montada pelo sucateiro de Ovar.

"A minha intervenção foi sempre como advogado e, portanto, isso está totalmente afastado", disse, quando questionado pelos jornalistas sobre se se sentia um homem "nas mãos de Manuel Godinho".

Esta foi a única declaração que o advogado e ex-assessor jurídico da PT prestou aos jornalistas, após uma tarde de inquirições na sala de audiências.

Paulo Penedos justificou a escassez de palavras fora da sala de audiências com o "respeito pelo tribunal" e prometeu esclarecimentos adicionais após o interrogatório.

A mesma postura foi adoptada pelo seu advogado, Ricardo Sá Fernandes.

"É um momento difícil para ele", disse apenas o causídico.

Paulo Penedos está acusado de um crime de tráfico de influência no âmbito do processo "Face Oculta", que começou a ser julgado dia 8 no Tribunal de Aveiro e envolve 36 arguidos.

O caso está relacionado com uma alegada rede de corrupção que tinha como objetivo o favorecimento de um grupo empresarial de Ovar ligado ao ramo das sucatas nos negócios com empresas do sector empresarial do Estado e privadas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG