Ex-gestor da Refer fala de Coissoró em julgamento

O ex-administrador da Refer Correia Alemão admitiu hoje ao coletivo de juízes que julga o processo Face Oculta ter almoçado com o arguido Manuel Godinho, explicando que o fez a pedido do histórico do CDS Narana Coissoró.

Esta foi a primeira vez que se ouviu em audiências do processo uma referência clara e contextualizada ao antigo deputado centrista.

Correia Alemão, uma testemunha arrolada pelo Ministério Público, disse que Narana seria "advogado ou consultor" de Manuel Godinho, mas que, ao fazer o convite, terá invocado a qualidade de "pessoa conhecida" do sucateiro.

O antigo gestor da Rede Ferroviária Nacional garantiu não ter sido informado previamente do objetivo da conversa, só percebendo, durante o almoço, que o sucateiro queria que fossem adjudicadas mais obras às suas empresas.

Narana Coissoró será ouvido no Tribunal de Aveiro como testemunha arrolada por Manuel Godinho, confirmou a Lusa junto de fontes ligadas ao processo.

Numa entrevista em 2009, o antigo dirigente e militante histórico do CDS admitiu que chegou a entregar cartões de visita de Manuel Godinho a "pessoas que conhecia", mas negou qualquer envolvimento nos factos que desencadearam o processo Face Oculta.

"Se era pessoa minha conhecida, eu dizia, sim senhor, eu conheço o Manuel Godinho, faça favor de o atender", disse à rádio Antena 1.

O processo Face Oculta está relacionado com uma alegada rede de corrupção que teria como objetivo o favorecimento de um grupo empresarial de Ovar, ligado ao ramo das sucatas, nos negócios com empresas do setor empresarial do Estado e privadas.

No banco dos réus estão sentados 36 arguidos (34 pessoas e duas empresas) que respondem por centenas de crimes de burla, branqueamento de capitais, corrupção e tráfico de influências.

O julgamento prossegue amanhã, altura em que o ex-ministro socialista Mário Lino reata um testemunho iniciado oito dias antes. O antigo titular da pasta das Obras Públicas deverá clarificar "divergências" que o Ministério Público vislumbrou entre as suas declarações em instrução e, depois, em audiência.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG