CP tem de explicar concurso que envolve Manuel Godinho

O Governo pediu esclarecimentos à CP sobre o concurso público para a venda de 39 veículos ferroviários que terá como provável vencedor uma empresa do sucateiro de Ovar Manuel Godinho, confirmou à Lusa o gabinete do secretário de Estado dos Transportes.

"A secretaria de Estado pediu informações à CP sobre o processo e vai tomar a breve trecho medidas para tornar mais eficiente e transparente a comunicação destes concursos ao público", disse uma fonte oficial do gabinete do secretário de Estado, Sérgio Monteiro.

Em causa está a provável vitória da empresa Raplus, do sucateiro de Ovar Manuel Godinho, arguido no processo Face Oculta, que apresentou a melhor proposta (790 mil euros), noticiada hoje pelo Correio da Manhã.

Já esta manhã, a CP emitiu uma nota garantindo que ainda não escolheu a empresa vencedora do concurso e sublinhando que não houve reclamações por parte das empresas concorrentes durante este processo.

"A CP ainda não assinou nenhum contrato de adjudicação", garante a empresa, que explica que, a 10 de Março, lançou um concurso público para a venda de 39 veículos ferroviários retirados da exploração, ao qual concorreram quatro empresas: Batistas - Reciclagem de Sucatas, SA; Transucatas - Soluções Ambientais, SA; Raplus - Soluções Ambientais, SA e O2 -- Tratamento e Limpezas Ambientais, SA.

Esta última, também do sucateiro de Ovar, foi posteriormente retirada por não cumprir os requisitos do caderno de encargos.

Manuel Godinho é o principal arguido do processo Face Oculta, relacionado com crimes económicos e que começa a ser julgado em novembro, e onde a CP é assistente por, alegadamente, ter sido prejudicada pela saída de informações internas sobre a adjudicação de obras.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG