Malparado está a descer no crédito

Os portugueses parecem resistir ao endividamento e ao aumento dos juros. É que estão a cumprir com os empréstimos contratados. Que o digam os bancos, que vêem inclusivamente o malparado a descer, incluindo no crédito ao consumo, de acordo com os dados do Banco de Portugal.

Os créditos bancários à compra de casa própria deixaram de crescer na casa dos dois dígitos, apesar das fortes campanhas publicitárias. Aumentaram apenas 8% entre Julho do ano passado e igual mês deste ano. Ao mesmo tempo, o malparado desceu ligeiramente e, neste momento, significa apenas 1,3% em relação ao total dos empréstimos concedidos. Os bancos parecem renitentes em emprestar dinheiro - entre si, elevando a Euribor -, mas o "sub-prime à portuguesa" parece não existir.

O mesmo sucedeu com os empréstimos ao consumo. Em Julho deste ano estavam "vivos" mais 1,2 mil milhões de euros em empréstimos destinados ao consumo, em relação a Julho do ano passado. A cobrança duvidosa para este segmento de empréstimos baixou 0,5 pontos percentuais e representa agora 3,3% dos créditos concedidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG