Queda das bolsas 'come' rentabilidade dos fundos

As quedas das bolsas - em especial a desvalorização de 47,3% da Bolsa de Lisboa desde o início do ano - está a ter um forte impacto nas carteiras dos produtos de capitalização portugueses.

As principais bolsas europeias e norte-americanas estão a cair mais de 30% em 2008, aprofundando o comportamento negativo do final do ano passado. No entanto, dado o tradicional conservadorismo dos aforradores portugueses e a antecipação da crise pelos gestores, a exposição ao mercado accionista está a ter um impacto limitado.

O problema maior é mesmo o mercado de crédito, precisamente o epicentro da actual crise financeira. Não tanto pela aposta em activos do crédito de alto risco nos EUA ( subprime ) - residual -, mas mais pelos efeitos que esses activos tiveram na dívida de outros grandes bancos europeus.

Ler mais

Exclusivos