Saída de administradores reduz lucros

O Millennium bcp ( BCP ) lançou ontem um alerta de lucros, referindo nomeadamente que prevê que "os resultados líquidos de 2007 sejam inferiores aos de 2006". Para tal terão contribuído os "custos com reformas antecipadas de colaboradores e de membros do Conselho de Administração Executivo que cessou funções".

Esta é uma resposta da nova administração do BCP , depois de afirmações de Filipe Pinhal, o presidente-executivo cessante, que durante a assembleia geral de terça-feira prestou "alguns esclarecimentos" sobre a actual situação da empresa. Segundo comunicado do BCP , emitido ontem já depois do fecho do mercado accionista, foram essas declarações que provocaram a explicação pública em referência.

O BCP refere ainda que os resultados líquidos de 2007 deverão incorporar um conjunto de impactos positivos e negativos, "com preponderância destes últimos, para além das já citadas reformas. Os custos com a oferta sobre o BPI estão entre os factos negativos enumerados.

Entretanto, Carlos Santos Ferreira já está a comandar a gestão do BCP . O novo presidente chegou ontem ao banco, na Rua Augusta, em Lisboa, por volta das 10.30 horas, acompanhado por Paulo Macedo, novo vice-presidente do banco, e José João Guilherme, igualmente administrador, tal como o DN revelou na última edição. "O banco é que é importante, não é o dia de ontem", disse o banqueiro aos jornalistas, citados pelas agências. Questionado sobre se gostou do resultado alcançado na assembleia geral (AG) do BCP , que decorreu na terça-feira, Santos Ferreira afirmou que "depende do resultado que conseguir alcançar no banco". Para concluir as breves declarações à chegada à sua nova instituição, o presidente eleito disse ainda: "Vamos começar a trabalhar."

E o seu primeiro dia de trabalho no BCP começou com uma reunião com a administração cessante, que se traduziu numa espécie de "passagem de testemunho". Entre os novos administradores do BCP , Armando Vara foi o primeiro a entrar no edifício. Já no que respeita aos administradores cessantes, Bastos Gomes, que integrava a lista de Miguel Cadilhe, foi o primeiro a chegar.

O novo presidente do BCP , que ganhou a corrida à presidência com 97,76% dos votos, não esteve presente na AG de terça-feira, que decorreu no Porto, apesar de se encontrar na altura na cidade. Logo na noite da reunião, após a sua conclusão, ficou a saber-se que a "passagem de testemunho" entre as duas administrações ocorreria no dia seguinte. O novo conselho de administração executivo do BCP , presidido por Carlos Santos Ferreira, tem como vice-presidentes Armando Vara e Paulo Macedo, integrando-o ainda Vítor Fernandes, Luís Pereira Coutinho, José João Guilherme e Nelson Machado. - M.A.C. e P.C.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG