Polícia Judiciária investiga eventual fraude no BCP

A Polícia Judiciária estará a investigar os empréstimos do BCP a offshores em nome de alguns membros do seu conselho superior, que terão envolvido perdas para o banco superiores a 200 milhões de euros, de acordo com notícia ontem avançada pela imprensa.

Na sexta-feira da semana passada, a actual direcção do banco - eleita a 15 de Janeiro e presidida por Carlos Santos Ferreira - acabou por contabilisticamente reconhecer a "du- vidosa legalidade" em algumas operações, ao provisionar em contas cerca de 200 milhões de euros.

Estas provisões extraordinárias destinam-se - tal como o DN noticiou na sua edição de ontem - a enfrentar perdas não reflectidas nas contas de 2007 e de anos anteriores. Uma outra provisão, de 70 milhões de euros, será constituída para fazer face a encargos com a passagem à reforma de cinco administradores.

As perdas do banco terão tido origem em irregularidades relacionadas com operações envolvendo offshores. As operações financeiras, agora sob inquérito, ter-se-ão dado em 2002 , quando as acções detidas pelos accionistas - membros do conselho superior - foram vendidas, com pesadas perdas para o BCP , ao ABN Amro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG