Quem são os homens que estão por trás do BPN

O Conselho Superior (CS) da Sociedade Lusa de Negócios Valor - principal accionista da SLN SGPS, que por sua vez detém o BPN - conta com várias figuras ligadas ao PSD: umas ocuparam ou ocupam cargos de elevada importância no partido, outros são "meros" militantes.

A maioria dos membros do CS são também grandes accionistas da sociedade ou do banco. Ao DN, o presidente do Conselho Superior da SLN Valor, Rui Machete, ressalvou que "este órgão tem um função meramente consultiva, que nada tem a ver com a gestão do banco". Porém, apesar de o CS não ter poder de gestão, dele fazem parte alguns dos maiores accionistas, sendo inequívoco o seu peso na gestão do SLN e, por maioria de razão, no banco agora nacionalizado pelo Governo.

Rui Machete (Pres.)

É militante do PSD desde a fundação do partido. Já foi ministro da Defesa, da Justiça e vice-primeiro ministro.Hoje, assume um importante cargo no partido, sendo presidente da Mesa do Congresso do PSD. É advogado, licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde foi professor.

Joaquim Coimbra
 
Empresário de Tondela ligado à indústria farmacêutica, tendo também uma empresa de energias renováveis. Já foi vogal da Comissão Política Nacional do PSD, durante a era Menezes e, actualmente, é presidente da Assembleia Municipal de Tondela. O accionista detém 1,9 % da SLN, SGPS e 10,7 % da SLN Valor.

Álvaro Dâmaso
 
Além de deputado regional nos Açores e da Assembleia da República pelas listas do PSD, Álvaro Dâmaso desempenhou funções no governo regional dos Açores. Foi também presidente das Bolsas de Valores de Lisboa e Porto e presidente da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Teve vários cargos de destaque em diversas instituições financeiras.
 
Fernando Cordeiro
 
Fernando Duarte Rodrigues Cordeiro é sócio-gerente da empresa Piubelle –Confecções, Indústria e Comércio, cujo negócio está ligado à indústria têxtil. A empresa está sediada em Milheirós, no concelho da Maia. O accionista detém 0,8 % da SLN, SGPS aos quais junta 3,5% da SLN Valor.

Joaquim Abreu
 
Possuidor do título de “comendador”, Joaquim Ferreira Abreu é também proprietário da Termolã, uma empresa em Vila das Aves, Santo Tirso, que se dedica à produção de revestimentos térmicos a partir de produtos como o granito. Detém 1,7% da SLN, SGPS.

 António Cavaco
 
É proprietário da construtora Irmãos Cavaco. Detém 1% da SLN, SGPS e 1,5% do capital da SLN Valor. A construtora Irmãos Cavaco tem mais de 25 anos, está sediada em Santa Maria da Feira e ganhou, em Setembro passado, importantes projectos em Angola, cujo valor poderá ascender aos 700 milhões de euros.

Queiroga Figueiredo

 Alberto Queiroga Figueiredo foi deputado do PSD e, actualmente, é presidente da têxtil Impetus,de Esposende. Fez parte da comitiva de empresário que CavacoSilva levou à Rússia em 2007. Detém 1% da SLN, SGPS aos quais junta 1,2% da SLN Valor.

 Avelino Francisco

Ligado ao grupo avícola Lusiaves, é também conselheiro na área do Desenvolvimento Económico, do Conselho de Opinião do PSD da Figueira da Foz. Detém 1,2%daSLN, SGPS mais 1,4% da SLN Valor.

Manuel Lagoa
 
O accionista detém 2,2%da SLN, SGPS, mais 0,9%daSLN, Valor. Manuel Lagoa pertence à Raporal, uma empresa de rações para animais, com sede no Montijo.
Thebar Miranda
Presidente do Conselho de Administração da empresa farmacêutica Grupos Azevedo.

José Antunes

Professor associado da Faculdade de Direito da Católica. É também mestre em Ciências Jurídico-comerciais. É ainda advogado, inscrito na Ordem desde 1992.

Almiro Jesus da Silva
 
Proprietário da construtora Almiro J. Silva detém 3,4% da SNL, SGPS e 9,1%daSNL Valor.

Adelino Santos Silva
 
Proprietário da metalomecânica  Metalogalva, uma empresa situada no Concelho da Trofa. Detém 2,4% da SNL, SGPS e 11 %da SNL Valor.
 
Rui Fonseca

Accionista, detém1,7% da SNL,SGPS.

Manuel Costa Silva
 
Sem informação disponível.

Adriano Martins
 
Sem informação disponível.
 
Vitor Gonçalves

Sem informação disponível.
 
António Tato
 
Sem informação disponível.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.

Premium

João Taborda da Gama

Por que não votam os açorianos?

Nesta semana, os portugueses, a ciência política em geral, e até o mundo no global, foram presenteados com duas ideias revolucionárias. A primeira, da lavra de Rui Rio, foi a de que o número de deputados do Parlamento fosse móvel tendo em conta os votos brancos e nulos. Mais brancos e nulos, menos deputados, uma versão estica-encolhe do método de Hondt. É a mesma ideia dos lugares vazios para brancos e nulos, que alguns populistas defendem para a abstenção. Mas são lugares vazios na mesma, medida em que, vingando a ideia, havia menos pessoas na sala, a não ser que se fizesse no hemiciclo o que se está a fazer com as cadeiras dos comboios da ponte, ou então que nestes anos com mais brancos e nulos, portanto menos deputados, se passasse a reunir na sala do Senado, que é mais pequenina, mais maneirinha. A ideia é absurda. Mas a esquerda não quis ficar para trás neste concurso de ideias eleitorais e, pela voz do presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, chega-nos a ideia de incentivar votos com dinheiro.