BPN: Oliveira Costa arguido no caso de Porto Rico

José Oliveira Costa foi, hoje, constituído arguido no processo que envolve o negócio de Porto Rico. O antigo presidente do BPN está a ser interrogado pelo procurador Rosário Teixeira, que coordena as investigações nos vários casos do Banco Português de Negócios.

Hoje de manhã, Dias Loureiro regressou ao Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) para a continuação do interrogatório de ontem. O antigo conselheiro de Estado também foi constituído arguido neste processo sobre o negocio de Porto Rico que, tal como o DN avança hoje na edição impressa, foi separado da investigação principal ao BPN.

Ontem, à saída do DCIAP, o antigo conselheiro de Estado sublinhava que "não cometeu nenhuma ilegalidade". "Só hoje (ontem) percebi alguns contornos do negócio da Biometrics que me passaram completamente ao lado", disse Dias Loureiro, que acrescentou durante a inquirição ter sido "confrontado com documentos que nunca tinha visto".

O caso de Porto Rico, que envolve a compra e venda da Biometrics, uma empresa tecnológica, tem assim dois arguidos.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.