O campeão que trocou o 'karting' pela moto sonha com a Fórmula 1

Valentino Rossi , o hexacampeão mundial na prova-rainha do motociclismo, a MotoGP, sonha com um salto para o automobilismo. O italiano vai realizar mais um teste com um monolugar da 'Ferrari'.

Valentino Rossi fez um pedido especial aos seus patrocinadores logo após a conquista do seu sexto título mundial em MotoGP: realizar um teste num Ferrari.

Ao ser questionado pelo jornal italiano La Gazzeta dello Sport sobre que prémio gostaria de ganhar pela conquista do título deste ano, Rossi pediu: "Gostaria de conduzir um Ferrari. Não um carro de passeio, mas um monolugar de Fórmula 1. É um simples desejo, sem pensar no futuro", disse, assumindo que está velho para se tornar num piloto de Fórmula 1.

Rossi tem 29 anos e mais dois anos de contrato na MotoGP. "Começar na Fórmula 1 com 31 anos é muito tarde", afirmou, desmentindo os inúmeros rumores que colocavam o piloto de motos no circo da Fórmula 1. O patrão da Ferrari, Stefano Domenicali, elogiou o italiano e deixou no ar que o desejo de Rossi , que testou um Ferrari pela primeira vez em 2004, pode ser concretizado. " Rossi é fantástico. Por ele tudo pode ser feito", elogiou.

O último teste de Rossi pela Ferrari foi em 2006, mantendo um sonho de criança de uma carreira no automobilismo. O italiano começou a competir em karting com apenas 11 anos. Desistiu cedo dessa categoria, mas ainda assim conquistou vários títulos regionais e um quinto lugar nacional. A paixão pelos automóveis ficou sempre vincada na sua memória desses primeiros tempos.

A abordagem ao motociclismo aconteceu muito por culpa de seu pai, Graziano Rossi , antigo campeão na categoria de 125cc. Mas também, assume, " porque competir em motos era bem mais barato que correr em kartings".

Durante umas competições com motos privadas, Rossi deu nas vistas e os patrões da Aprilia apostaram nele. Começou a competir no Mundial em 1996, na categoria de 125cc, onde conquistou seu primeiro Campeonato Mundial logo no ano seguinte. A partir daí os títulos mundiais foram-se sucedendo naturalmente, passando quatro anos na Aprilia, quatro na Honda e agora já vai na quinta temporada na Yamaha.

Rossi é conhecido pelas excentricidades dentro e fora das pistas, mantendo inúmeros rituais antes e depois das competições. No circo do motociclismo é conhecido como Il dottore, porque quando jovem queria ver o seu nome antecedido de Dr., como verificou em muitos nomes da lista telefónica da sua Tavullia natal. Sempre utilizou o número 46 em homenagem ao pai. Viveu em Londres entre 2000 e 2008, quando manteve um litígio com o fisco italiano. Considerado pela revista norte-americana Sports Illustrated uma das mais importantes personalidades desportivas, somou 34 milhões de dólares em 2007. O italiano planeou abandonar as competições com 31 anos mas antes "gostava de ver o seu irmão de 11 anos, Luca Marini, começar a competir em motos com o número 46.

A carreira de Valentino Rossi em dez momentos

1. CAMPEÃO NO 'KARTING' Início de carreira nos kartings - venceu o regional em 1990, com onze anos, e terminou em quinto no nacional.

2. PRIMEIRO TÍTULO Campeão mundial. Somou onze vitórias na categoria de 125cc em 1997, com uma Aprilia RS.

3. CATEGORIA 250CC Segundo título mundial, em 1999, em Aprilia RS250.

4. PROVA-RAINHA. Título mundial em 2001, na categoria de 500 cc, com uma Honda. Em 2002 e 2003 voltou a vencer pela marca japonesa.

5. TRANSFERÊNCIA Muda-se para a Yamaha, onde, logo no primeiro ano, se sagra campeão mundial. Em 2005 volta a repetir o feito.

6. DESTRONADO Travessia do deserto. Um segundo lugar em 2006 e um terceiro em 2007 afastaram-no do lugar mais alto do pódio.

7. FUGA AO FISCO Em 2007, o fisco italiano declarou que Rossi estava a ser investigado por suspeitas de evasão fiscal. Vive em Londres.

8. FÓRMULA 1 Rumores sobre abordagem à Fórmula 1. Rossi nunca escondeu o fascínio pela F1. Efectuou testes com o Ferrari de Schumacher, mas esse projecto nunca se concretizou.

9. REGRESSO Este ano reaparece de forma espectacular, reconquistando o título mundial de MotoGP, com 29 anos.

10. FUTURO Tem contrato com a Yamaha por mais dois anos - espera terminar então a carreira, aos 31 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG