Pilotagem e factor sorte ajudam Alonso à chuva

Espanhol da Ferrari desaloja australiano Mark Webber da liderança e assume favoritismo a duas provas do fim do campeonato

O azar de uns é a sorte de doutros. Numa corrida marcada por vários acidentes determinantes e muita chuva, Fernando Alonso (Ferrari) foi o primeiro a reconhecer dever a vitória ao azar dos pilotos da Red Bull, com Mark Webber a exagerar ao pisar um corrector e Sebastian Vettel a partir o motor à 45.ª volta, quando liderava.

No novo circuito sul-coreano de Yeongam, Alonso, que partiu da segunda linha da grelha, atrás dos Red Bull, venceu a terceira das últimas quatro provas, deixando os restantes lugares do pódio para o inglês Lewis Hamilton (McLaren) e o seu companheiro de equipa brasileiro, Felipe Massa. Reconhecendo ter tido a sorte que lhe faltou na primeira metade do campeonato e estar a beneficiar das novas peças montadas no Ferrari, depois da nona prova, em Silverstone, o espanhol referiu "nada ter mudado muito", já que com o novo sistema de pontos, "a regularidade e a constância em chegar ao pódio são determinantes".

No entanto, apenas com os Grandes Prémios do Brasil e Abu Dhabi por disputar, a situação mudou bastante em favor do pilota da Ferrari. Com 11 pontos de vantagem sobre Mark Webber e 21 sobre Lewis Hamilton, Alonso tem sido o candidato ao título que menos errou e ontem, numa corrida em que o safety car marcou presença e o spray obrigou a uma parte da prova fosse disputada "às cegas", impôs-se com naturalidade, deixando Webber a lamentar-se com o erro cometido.

Mais complicadas ficaram as situações do vice-campeão de 2009, Sebastian Vettel e do campeão em título, Jeson Button. O alemão está a 25 pontos do líder e o britânico a 42 e as contas estão já muito complicadas. Assinale-se ainda a quarta posição de Michael Schumacher, na corrida de ontem, sinal de que o heptacampeão alemão começa a voltar à tona.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG