Rooney e Hodgson confiantes no futuro da seleção

Apesar da desilusão por uma nova derrota nas grandes penalidades, avançado e treinador acreditam que os jogadores mais jovens estiveram em bom nível.

Pela sexta vez a Inglaterra teve de decidir a continuidade numa grande competição e pela sexta vez perdeu. A desilusão na seleção é grande, mas o selecionador Roy Hodgson e o avançado Wayne Rooney já olham para o futuro e auguram bons tempos para Inglaterra.

No adeus ao Euro 2012 após a eliminação frente à Itália, Rooney elogiou os jovens que representaram a equipa na competição. "Estamos todos desiludidos. Foi um jogo difícil. Todos trabalhámos muito, por isso, perder nas grandes penalidades é um sentimento horrível que todos partilhamos. No entanto, podemos levantar a cabeça. Há muito jovens jogadores na equipa e vai ser uma ajuda para o próximo torneio", disse o avançado do Manchester United que marcou um golo no Euro.

Danny Welbeck, Theo Walcott, Oxlade-Chamberlain, Andy Carroll e Jordan Henderson foram alguns dos jovens que estiveram em destaque. O selecionador Roy Hodgson elogiou toda a equipa, mas realçou a importância da experiência ganha pelos mais novos que agora começam a afirmar-se na seleção inglesa: "Estão todos muitos desapontados por não terem dado mais um passo em frente, mas eles mostraram que têm capacidade para o fazer. Temos jovens jogadores de muita qualidade.

Hodgson abordou ainda mais uma derrota de Inglaterra nas grandes penalidades. "A reputação de um jogador não pode ser definida pelas decisão nas grandes penalidades. Vemos os jogadores a treiná-las e estiveram muito bem. Mas não conseguimos reproduzir a tensão, o momento, o nervosismo. Aquela calma calculista como a de Pirlo, que tem a confiança para fazer aquilo ao guarda-redes [remate à Panenka]... ou se tem ou não e por mais treino que se faça não se consegue reproduzir isso", salientou o técnico.

Referiu-se ainda em especial a Ashley Cole e Ashley Young, os dois jogadores que falharam, relembrando que o primeiro havia convertido a grande penalidade na final da Liga dos Campeões que o Chelsea venceu e Young já o havia feito também na Premier League.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG