"Ronaldo? Não é companheiro, é inimigo"

Arbeloa, que será responsável pela marcação a Ronaldo, diz que nem vai falar com o CR7. Iniesta defende o 'tiki-taka' e Negredo admite que terão que travar Ronaldo em falta.

Colegas de equipa no Real Madrid, Arbeloa e Cristiano Ronaldo não só se irão defrontar no Espanha-Portugal como irão travar um "mano a mano" no mesmo flanco. O lateral espanhol será o responsável pela marcação a CR7, mas garante que nem vai falar com o capitão da seleção portoguesa.

"Não falei nem vou falar. Isto é como quando jogamos no nosso clube contra um colega de seleção. Todos são inimigos, não há aqui colegas de clube", frisou Arbeloa, admitindo que "vai haver ocasiões em que vai ser impossível travar Ronaldo."

Ora, travar em falta Ronaldo poderá resultar em livres perigosos para a baliza espanhola, algo que os espanhóis sabem que, ainda assim, poderão ter que fazer. "Se tivermos que fazer falta, tem que ser. Sabemos que ele nos vai obrigar a fazer faltas, mas nós temos o melhor guarda-redes do mundo, que conhece-o e sabe como travá-lo", destacou o ponta-de-lança Negredo, referindo-se a Casillas.

O jogador do Sevilha, que deverá ficar-se pelo banco de suplentes [Fàbregas deverá manter a titularidade na posição '9'], admitiu que os centrais da seleção portuguesa preocupam o adversário. "O Bruno Alves é muito forte no jogo aéreo, faz uma bola dupla com o Pepe, que é um central rápido e muito agressivo nas suas ações. É um dos melhores do mundo", destacou.

Aquela que é, provavelmente, a figura máxima entre o leque de 'estrelas' da seleção espanhola, Iniesta, saiu em defesa do 'tiki-taka' da seleção espanhola, que aos olhos de muitos passou de futebol genial a trocas de bola aborrecidas. "Foi este estilo de jogo que nos conduziu ao êxito e aos títulos. É a nossa forma de jogar e não há outra", vincou. Sem mostrar interesse no duelo com Ronaldo, Iniesta lembrou que "será a força de cada jogador que definirá qual equipa será a melhor."

Exclusivos