Rio e Pacheco com escolta

Campanha eleitoral de Março de 2002. O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, e Pacheco Pereira sofrem ameaças. Rio teve segurança reforçada e andou sempre com escolta policial. Pacheco Pereira, como relatou num dos seus artigos no blogue Veritas Filia Temporis, sofreu tentativas de agressão.

O futebol esteve no centro do clima de violência que marcou a campanha para as eleições legislativas que conduziram Durão Barroso a São Bento. No texto, Pacheco Pereira conta como Rui Rio foi apelidado de "Hitler" e como, nas ruas, os Super Dragões o chamavam de "esgoto". Como instigaram um clima de insulto e violência. A maneira como se processou a tentativa de agressão contra ele e como eram feitos apelos a novas violências, através de sites na Internet, e que das próximas vezes estas se concretizassem mesmo. No mesmo texto, Pacheco Pereira refere "o problema do 'futebol' que atravessou a campanha no Porto foi tudo menos uma questão de futebol: foi uma questão de poder político, nua e crua e até exemplar e reveladora nessa nudez e crueza. Em nenhum sítio do País o mesmo se passou".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG