Protecção Civil de Viana do Castelo registou apenas oito chamadas


 A Protecção Civil de Viana do Castelo recebeu apenas oito chamadas devido ao sismo sentido hoje de madrugada em Portugal continental e não tem notícia de acidentes humanos ou materiais.

 O 2º comandante da Protecção Civil de Viana do Castelo, Robalo Simões, contou à Lusa que sentiu o sismo, mas confessou que, num primeiro momento, apenas pensou que era "um camião grande" a passar à sua porta.

"Estava na cama, ainda acordado, e senti uma pequena tremedeira, igual àquela que se sente quando um camião grande passa fora da nossa porta", disse, à Lusa, Robalo Simões.

Segundo este responsável da Protecção Civil, o "pequeno abalo sísmico" apenas se fez sentir "durante uns 10 a 15 segundos", cerca da 01:40.

"Nem sequer deu para embalar o sono. Tenho mesmo a sensação de que, se estivesse a dormir, não teria sentido rigorosamente nada", acrescentou.

Robalo Simões disse ainda que estes abalos são mais perceptíveis para quem mora "em altura", como é o seu caso, que vive num segundo andar.

Um sismo de magnitude 6.0 na escala de Richter e cujo epicentro se localizou a cerca de 100 quilómetros a Oeste-Sudoeste do Cabo S.Vicente foi sentido em todo o território do Continente e teve intensidade máxima, V na escala de Mercalli modificada, na região de Lagos e Portimão, segundo o Instituto de Meteorologia.

A Protecção Civil de Viana do Castelo recebeu apenas oito chamadas, de pessoas oriundas de vários concelhos que sentiram o sismo e que queriam saber o que deveriam fazer.

"Não houve qualquer alarmismo", garantiu Robalo Simões.

Disse ainda que não há registo de quaisquer danos materiais ou de danos pessoais.

"Foi apenas uma noite um bocadinho mais agitada, mais mexida", rematou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG