Porque acontecem os sismos?

O planeta Terra está coberto por uma camada de terra e rocha a que chama crosta terrestre ou litosfera. Esta crosta não é lisa mas sim irregular e composta por placas tectónicas. Estas placas não são fixas, deslizam muito lentamente sob o magma (a rocha fundida de alta temperatura que forma o centro da terra).

As placas tectónicas estão em constante movimento, exercendo pressão umas nas outras. Umas chocam entre si, outras afastam-se e umas até se sobrepõem. São estes movimentos que provocam uma grande acumulação de energia nas falhas que estão entre as placas. Para libertar essa energia acumulado ou surgem vulcões ou terramotos. A maioria deles acontece no choque entre as placas ou na sua sobreposição (movimento mais grave e que originou os últimos grandes sismos na indonésia, por exemplo). Sempre que essas falhas estão sob regiões habitadas, os estragos são mais visíveis.

Muitos vulcões formam-se nestas regiões de convergência entre placas. A ruptura no solo faz com que, muitas vezes, o magma terrestre escape, atingindo a superfície.

Existem 52 placas tectónicas; 14 grandes placas e 38 menores

Principais placas tectónicas:

- Placa Africana
- Placa Antáctida
- Placa da Arábia
- Placa Australiana
- Placa das Caraíbas
- Placa de Cocos
- Placa Euroasiática
- Placa das Filipinas
- Placa Indiana
- Placa Juan de Fuca
- Placa de Nazca
- Placa Norte-americana
- Placa do Pacífico
- Placa de Scotia
- Placa Sul-americana

Movimentos das placas

Divergentes
- As placas separam-se e movem-se em direcções opostas, permitindo a formação de nova litosfera.

Convergentes - As placas convergem, colidem e uma mergulha por baixo da outra, promovendo o retorno da litosfera oceânica para o manto.

Transformantes - As placas deslizam lateralmente uma em relação as outras, aproximadamente a altos ângulos em relação aos limites divergentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG