Maior registado desde 1969 e já teve 16 réplicas

O Instituto de Meteorologia (IM) registou 16 réplicas do sismo verificado às 01:37 desta madrugada e considera que este foi o "maior registado desde 1969", disse hoje à Lusa o presidente daquele organismo.

De acordo com o responsável do IM, Adérito Serrão, "o sismo desta madrugada é o maior registado desde 1969", a cerca de 100 quilómetros do Cabo de São Vicente, no Algarve, mas "sem problemas a registar", reforçou.

O sismo que ocorreu no Oceano Atlântico, a cerca de 30 quilómetros de profundidade, teve a magnitude de 6.0 na escala de escala de Richter e registou uma intensidade de 5.0, na escala de Mercalli, "foi um sismo de forte intensidade, mas não causou estragos e não danificou estruturas", precisou aquele responsável.

O responsável afirmou ainda que o "sismo foi sentido em Lisboa, em muitos locais sobretudo nos lugares de maior elevação", bem como "ao longo de toda a costa algarvia".

"Não existem vítimas a registar", foi apenas um sismo "sentido com alguma intensidade, em bastantes locais pelas populações", explicou Adérito Serrão à agência Lusa junto ao Centro Operacional de Sismologia, em Lisboa.

O sismólogo Fernando Carrilho afirmou, por seu lado, que as "réplicas são normais" e que "tendem a diminuir quer em intensidade, quer em intervalos de tempo".

O sismo foi registado pela rede de 40 equipamentos distribuídos por todo o território nacional, e teve uma "duração aproximada de três minutos", concluiu o sismólogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG