Para que serve debater Lisboa?

Após realizados quatro debates e auscultados 18 oradores convidados, após as intervenções dos especialistas e de um vasto público presente nas sessões, o que concluir?

Discutiu-se o passado, presente e futuro da Colina de Santana, mas acima de tudo debateu-se Lisboa, como há muito tempo não se fazia. Muitos e pertinentes foram os temas abordados e muitas poderiam ser as questões que escolheríamos para falar neste artigo, porém elegeremos apenas uma: a forma como foi conduzido todo o processo. Antes de mais, esta é uma história invertida ou de "pernas para o ar". Em primeiro lugar seriam apresentados os quatro pedidos de informação prévia (para a reconversão dos Hospitais de São José, Santa Marta, Capuchos e Miguel Bombarda); seguidamente a ESTAMO contrataria uma equipa para produzir o "Projecto Urbano da Colina de Santana"; depois o Departamento de Planeamento e Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Lisboa elaboraria um "Documento Estratégico de Intervenção"; e por fim a questão seria colocada em amplo debate público por iniciativa da Assembleia Municipal de Lisboa. O normal era ter sido precisamente ao contrário. Porém, a forma participada como está a ser feito este debate permitiu colocar o tabuleiro de jogo de novo na posição em que deveria estar. Os pedidos de informação prévia foram suspensos, a proposta urbanística para a Colina de Santana está sob escrutínio público, a Câmara Municipal apresentou uma visão estratégica para esta zona da cidade e o debate público permitiu esclarecer e receber contributos da parte dos munícipes. Debater Lisboa é assim um imperativo. Debater não só a Colina de Santana, mas toda a cidade. E ao promover este debate a Assembleia Municipal provou que é a Casa da Cidadania que pretende ser. O último debate sobre a Colina de Santana será no próximo dia 11 de março, às 18.00, no Fórum Lisboa. No final desta sessão será produzido um relatório do qual emanarão as recomendações da Assembleia Municipal, que acreditamos que serão claras, unas, o menos partidariamente espartilhadas possíveis, e a bem da cidade e da Colina de Santana. Demonstrando que vale a pena Debater Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG