Pavilhão da Água mantém sucesso

Edifício instalado no Parque da Cidade já foi visitado por cerca de 200 mil pessoas.

O Pavilhão da Água, um dos mais visitados durante a Expo'98, está desde 2002 no Parque da Cidade do Porto. No seu espaço, uma série de experiências procuram demonstrar a importância da água para a vida, as suas diversas formas de utilização e os diferentes meios ambientes nos quais a água está presente.

As experiências, concebidas no Experimentarium, na Dinamarca, por uma equipa dirigida pelo físico Nils Hornstrup e pelo designer Peter Claudell, formam um conjunto que cativa o público através de jogos de cores, luzes e sons. A estas experiências juntam-se agora novas, concebidas no Laboratório de Hidrobiologia da Universidade do Porto, por uma equipa chefiada pelo biólogo Adriano Bordalo e Sá.

As surpresas são muitas: compor música, ver imagens em três dimensões através de ilusões de óptica, observar peixes e plantas num aquário gigante utilizando uma câmara de vídeo, assistir à formação de um tornado e de um ciclone, observar o comportamento das ondas, ver jactos de água de diferentes formas, conhecer criaturas microscópicas e aprender as diferentes fases do ciclo da água e quais as melhores formas para não a desperdiçar são algumas delas.

O edifício, da autoria dos arquitectos Alexandre Burmester e José Carlos Gonçalves, foi oferecido à Câmara do Porto pela Unicer. Desde a sua instalação no Parque da Cidade, já foi visitado por cerca de 200 mil pessoas, na sua maioria crianças e jovens estudantes. O pavilhão está aberto todos os dias excepto à segunda-feira, das 10.00 às 17.30.