Até hoje Mariza já vendeu um milhão de discos

Com a edição de 'Terra', o quarto disco de Mariza , marcada para o próximo dia 30, a cantora dá hoje início a uma nova digressão mundial, em Santarém. Segue-se o resto da Europa e os EUA na agenda, desta que é uma das vozes de maior sucesso da música portuguesa a nível internacional

Em entrevista recente ao DN, Mariza lembrava que "existe um elo de ligação entre quem canta ou toca e quem ouve, mesmo que a língua, as palavras, não sejam entendidas". Mas dizia-o reconhecendo o inevitável: existirão diferenças entre actuar num palco estrangeiro ou em Portugal? "Se dissesse que não estaria a mentir". A digressão mundial de Mariza arranca hoje em Santarém (às 21.30 na Praça de Touros Monumental Celestino Graça, com o preço dos bilhetes a variar entre os 5 e os 30 euros). Primeiro em Portugal, depois pelo mundo, com um disco novo (Terra, a editar no dia 30) e um milhão de cópias dos anteriores registos vendidas em todo o mundo.

Foi, em tempos, a inevitável "nova Amália". Mais tarde acabaria por se transformar, a própria, em termo de comparação. Para uns, pelas características da sua voz. Para outros, por fugir às regras do fado tradicional. De forma unânime, pelo sucesso que conquistou. Hoje actua mais no estrangeiro do que em Portugal. Diz-nos Mariza : "A nível internacional existe um leque enorme de teatros. Portugal tem um mercado mais pequeno".

O resultado são cerca de quatro dezenas de concertos por ano em Portugal. Um número "muito bom", sobretudo para quem procura "não cansar as pessoas". Não que a preocupação esteja centrada numa questão de imagem e do seu desgaste mas sim naquilo que "as pessoas dese- jam e esperam ver", reforça a cantora.
Estes concertos são, de forma evidente, primeira forma de testemunhar a popularidade de Mariza junto do público. Um reconhecimento que já passa também pelo mercado norte-americano, habitualmente mais difícil de conquistar. É pelos EUA que boa parte da digressão de Terra vai desfilar, ao longo de três meses, em 2009. O mesmo mercado tem já significativa presença entre as contas finais dos discos vendidos. De acordo com o management de Mariza , os discos até ao momento editados venderam, em média, 120 mil cópias em Portugal (no total, cerca de 500 mil discos no mercado nacional). Nos EUA, as vendas estão entre os 30 e os 40% dos números portugueses. No total, um milhão de discos para aquele que é um dos mais importantes nomes do actual mercado de world music - rótulo que é atribuído a Mariza fora de Portugal.

Sobre números, vendas, distribuição e demais burocracias, Mariza diz que "esse não é o meu pelouro. Gosto de saber o que se está a passar mas delego essas funções no meu manager". Assim tem sido desde o lançamento do primeiro disco, em 2001. Fado em Mim, foi editado em 32 países. Seguindo o exemplo do lançamentos que se seguiram, Terra vai estar disponível em todo o mundo: Europa e EUA como mercados preferenciais, mas com inevitáveis presenças na China, Japão, Malásia ou Tailândia (países já visitados por Mariza em concerto) ou na Austrália e Nova Zelândia.

Ler mais

Exclusivos