Os miúdos sabem esperar? Cada vez mais…

Na sociedade do imediato, uma descoberta em contracorrente: as crianças são menos impulsivas agora do que nos anos 1960. Texto de Marina Almeida Foi colocado um doce à frente de crianças entre os três e os cinco anos. Podiam comê-lo logo ou esperar por outra guloseima: os miúdos esperaram. «Apesar de vivermos na era da recompensa instantânea em que tudo parece estar disponível imediatamente através dos smartphones ou da internet, o nosso estudo sugere que as crianças podem esperar mais pela gratificação do que as crianças nos anos 1960 e 1980», diz Stephanie M. Carlson, psicóloga da Universidade do Minnesota, [...]

O conteúdo Os miúdos sabem esperar? Cada vez mais... aparece primeiro em DN Life.

Para saber mais clique aqui: life.dn.pt

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.