Tóquio 2020, as primeiras Olimpíadas com reconhecimento facial

Os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 vão ser os primeiros a usar tecnologia de reconhecimento facial para melhorar a segurança no acesso aos recintos. O sistema, para já, não será destinado aos fãs mas sim aos mais de 300 mil atletas, staff, voluntários e jornalistas que vão estar presentes no evento.

Vão ser usados chips integrados em cartões de identidade ​​para verificar quem entra em mais de 40 recintos diferentes. "Sempre que os participantes entrarem num recinto, vai ser feita uma verificação de segurança automática", explicou à BBC o chefe de segurança dos Jogos Olímpicos de Tóquio Tsuyoshi Iwashita. [...]

The post Tóquio 2020, as primeiras Olimpíadas com reconhecimento facial appeared first on DN Insider.

Para saber mais clique aqui: insider.dn.pt

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.