Facebook acusado de fornecer dados pessoais a Netflix e Airbnb

Empresa de Mark Zuckerberg é agora acusada pelo parlamento britânico de dar acesso preferencial de dados a programadores. O Facebook continua na linha de fogo no que aos dados pessoais diz respeito. Um relatório do comité digital, media e desporto (DCMS) do parlamento britânico acusa a rede social de dar a alguns programadores acesso indevido a dados pessoais. As revelações terão sido feitas através de centenas de emails que o comité teve acesso e que mostram uma desrespeito da empresa pela privacidade dos utilizadores da rede social. O parlamento britânico publicou esta quarta-feira conversas privadas entre executivos de topo [...]

The post Reino Unido: Facebook acusado de dar acesso indevido a dados pessoais appeared first on DN Insider.

Para saber mais clique aqui: insider.dn.pt

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.