União Europeia vai investigar impostos do Ikea

Holanda poderá ter dado vantagens injustas a uma divisão da gigante sueca

A Comissão Europeia vai abrir uma investigação aos impostos do Ikea, uma vez que a Inter Ikea, com base na Holanda, pode ter recebido benefícios fiscais injustos naquele país, diz a BBC.

Margrethe Vestager, comissária europeia da Concorrência, já afirmou antes que "pequenas, grandes, multinacionais ou não, todas as empresas têm de pagar a sua parte justa de impostos".

A União Europeia vai investigar se a situação fiscal do Ikea viola regras europeias no que toca a ajudas e benefícios dados por países a empresas.

Em comunicado, a Comissão Europeia diz querer averiguar se "duas decisões fiscais antecipadas permitiram à Inter IKEA pagar menos impostos, dando-lhe uma vantagem em relação a outras empresas, em violação das regras da União Europeia em matéria de ajudas de Estado".

A investigação diz respeito a duas decisões fiscais, de 2006 e 2011, que reduziram a base tributável da Inter IKEA Sistems na Holanda.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.