Um em cada cinco trabalhadores não tem emprego permanente

Trabalhadores no país são cada vez mais precários, baratos e trabalham mais horas do que a média da União Europeia.

Um em cada cinco trabalhadores a residir em Portugal não tem um emprego permanente. Dito de outra forma, havia 844 mil precários em 2016, que representavam 22,3% da população empregada. Para além da instabilidade no posto de trabalho, que tem crescido (22% em 2015 e 9,5% em 1994), os nossos trabalhadores são baratos. Em 2014, o ganho médio anual (bruto) dos trabalhadores por conta de outrem era de 17 297euro, o que corresponde a 51,2% da média europeia (33 774euro). Mas não é por esse motivo que trabalhamos menos: a duração média semanal do trabalho era de 42,4 horas em Portugal, sendo a quarta maior carga horária da União Europeia (UE).

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG