TAP. Sucesso de emissão dá força a plano para entrar em bolsa em 2020

Emissão de obrigações permitiu à TAP emitir 200 milhões de euros. Foi "o primeiro passo para abrir o capital", admitiu David Neeleman

A TAP fez um apelo para que Portugal participasse na sua emissão de dívida, e seis mil investidores disseram que sim. Embalados por um juro de 4,375%, a maior parte dos que participaram nesta emissão de obrigações investiram entre mil e cinco mil euros, mas houve 347 pessoas a aplicar mais de 50 mil euros. Resultado: a companhia conseguiu financiar-se em 200 milhões de euros que ajudarão a consolidar o seu passivo, e viu a procura superar 1,5 vezes a oferta. Foi uma das maiores emissões de retalho de sempre e, para a empresa foi um teste bem sucedido ao plano de entrada em bolsa em 2020.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.