Sonae implementa medidas para igualdade de género nos próximos dois anos

No total de efetivos, o grupo dono do Continente refere que "o percentual de mulheres é significativamente superior (64%) face ao dos homens (36%)", mas admite que nos "níveis estratégico/gestão, associados ao exercício de funções de liderança", o "género feminino" está "sub-representado"

A Sonae definiu um conjunto de medidas, para aplicar entre 2020 e 2021, no âmbito de um plano para a igualdade de género na empresa e que inclui o desenvolvimento de gestão de carreiras que apresentem um género sub-representado.

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo da Maia, dono do Continente, adiantou que "definiu e priorizou um plano de intervenção multinível, que inclui ações já em curso, assim como iniciativas a implementar no curto e médio prazo".

Para a sociedade, "o foco é colocado, ao nível das políticas de gestão de pessoas, das lideranças responsáveis pela sua execução, do acompanhamento da sua implementação, bem como no alinhamento em matéria de comunicação institucional".

A Sonae reconhece que levou a cabo um "autodiagnóstico", que ditou as medidas que deveriam ser implementadas.

"No total de efetivos da Sonae, o percentual de mulheres é significativamente superior (64%) face ao dos homens (36%). Esta distribuição é suportada pelo nível operacional, invertendo-se para os níveis estratégico/gestão, associados ao exercício de funções de liderança, onde o género feminino se encontra sub-representado", referiu a sociedade.

As medidas que o grupo empresarial quer implementar

Entre as medidas previstas conta-se "encorajar a candidatura e seleção de homens ou mulheres para funções/profissões onde estejam sub-representados(as)", bem como "garantir a implementação contínua de 'short lists' de candidatos 50:50 no recrutamento de posições de liderança", lê-se no documento.

A Sonae pretende ainda, nos próximos dois anos, "desenvolver programas de gestão de carreira para o género sub-representado, compreendendo um acompanhamento específico mais personalizado", indicou a sociedade.

O grupo vai também "desenvolver e implementar sessões formativas, ações de sensibilização e iniciativas de 'mentoring'[orientação] que preparem os líderes para gerir a diversidade das equipas e igualdade de género", entre muitas outras medidas, de acordo com o comunicado.

A sociedade garante ainda que irá monitorizar a implementação do plano, nomeadamente com a "criação de um comité de reflexão permanente e dedicado no seio do Grupo Consultivo de Recursos Humanos, dotado de competências multidisciplinares, que deverá assumir um papel ativo no debate e partilha de tendências e boas práticas no âmbito da igualdade de género, assim como na promoção, sensibilização e monitorização das ações concretas de melhoria, garantindo visibilidade na organização sobre o tema".

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras