Recorde: TAP transportou 11,7 milhões de passageiros em 2016

O número representa um crescimento de 3,5% face aos resultados de 2015 e mais um recorde absoluto para a companhia de bandeira

Um ano depois de completa a privatização e depois de introduzir novos modelos de transporte e rotas, a TAP continua a bater recordes absolutos. Se a passagem dos 10 milhões de passageiros foi extraordinária, o crescimento não abrandou e no ano passado a companhia de bandeira ultrapassou a fasquia dos 11 milhões. Foram 11,7 milhões de passageiros transportados no ano, mais 3,5% do que o número do ano anterior.

Só durante o mês de dezembro, o crescimento do tráfego foi de 26% (perto de 990 mil passageiros num único mês), relativamente ao mesmo mês de 2015, representando uma evolução consistente mesmo nos meses fora da época alta (mais 12,2% em outubro e mais 25% em novembro), com particular destaque para as rotas do Brasil, que aumentaram em 5% e dos destinos africanos, onde a companhia aérea portuguesa conseguiu um crescimento de 36% só em dezembro (mais 75 mil passageiros transportados, num total de 800 mil).

Com os voos domésticos e Europa a chegar aos 8,99 milhões de passageiros (4%) e as rotas da América do Norte a somar mais 65% - mais 186 mil passageiros, para um total de 472 mil, fruto do lançamento, em junho, de duas novas rotas, Nova Iorque/JFK e Boston, e aumento de frequências para os destinos onde já operava, Newark e Miami -, a taxa de ocupação média do ano atingiu os 78,6% em toda a rede.

De acordo com a companhia, nestes números pesou ainda o lançamento, em março, da Ponte Aérea entre Lisboa e o Porto. "Nesta ligação, no mês de dezembro, a TAP teve um crescimento de 126%, com uma taxa de ocupação média dos seus voos de 73,1%, que reflete uma melhoria de 7,8 pontos percentuais face ao mesmo mês de 2015", adianta a companhia. Na totalidade do ano, os voos da Ponte Aérea serviram quase 300 mil passageiros, mais 80% do que no ano anterior.

(Notícia retificada: o crescimento de passageiros foi de 3,5% e não 6% como antes escrito)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG