Rating. País está em melhor posição para atrair investidores

Redução dos juros da dívida poderá ser o primeiro impacto da subida do rating, pela S&P, para um nível de investimento

Amanhã, quando abrirem os mercados, é provável que os juros da dívida soberana portuguesa transacionada no mercado secundário desçam face aos valores registados na última sexta-feira, antes de conhecida a decisão da Standard & Poor"s (S&P), de tirar Portugal do nível lixo para o elevar a um patamar de investimento. É expectável que as próprias bolsas reajam de forma positiva.

Deverão ser estes os primeiros impactos visíveis da subida do rating (nota emitida por agências de classificação de risco sobre a qualidade de crédito), a par de uma descida dos juros na próxima quarta-feira, quando Portugal voltar ao mercado para leiloar dívida junto de investidores institucionais, como já aconteceu no leilão da última quarta-feira, assinala Luís Tavares Bravo, da Dif Broker.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.