Preços subiram em média 0,6% em 2016

Números foram revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE)

A taxa de variação média de inflação em 2016, medida pelo Índice de Preços no Consumidor, situou-se em 0,6% e subiu em dezembro para 0,9% em termos homólogos, segundo o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), no ano passado, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma taxa de variação média anual de 0,6%, face aos 0,5% em 2015.

Já em dezembro de 2016, o IPC registou uma variação homóloga de 0,9%, mais 0,3 pontos percentuais face ao registado em novembro.

Em termos mensais, o IPC apresentou uma variação nula em dezembro (-0,5% e -0,3% no mês anterior e em dezembro de 2015, respetivamente).

O INE explica que excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados a taxa de variação média anual situou-se em 0,7% em 2016, valor idêntico ao do ano anterior.

O gabinete de estatísticas detalha que "dada a estabilização" da inflação subjacente, o aumento da taxa de variação média anual do IPC entre 2015 e 2016 "foi influenciada pela evolução dos preços dos produtos energéticos", já que a variação deste agregado "foi menos negativa em 2016", passando de -3,6% em 2015 para -1,8%.

Os preços dos produtos alimentares não transformados desaceleraram em 2016, embora mantendo uma taxa de variação média positiva que se fixou em 1,6% em 2016 (1,9% em 2015).

Em 2016, e tal como verificado em anos anteriores, observou-se um crescimento médio anual mais elevado dos preços dos serviços que o observado para os preços dos bens, acrescenta.

Já no que diz respeito a dezembro e em termos homólogos, a aceleração do IPC "foi determinada sobretudo pelo comportamento dos preços do subgrupo dos combustíveis e lubrificantes para equipamento para transporte pessoal", que passaram de uma subida de 4,2% em novembro para 10,7% em dezembro.

Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a variação homóloga foi 0,5%, face aos 0,4% no mês anterior.

O agregado dos produtos energéticos apresentou uma taxa de variação homóloga de 4% em dezembro (0,6% no mês anterior e -1,5% em dezembro de 2015), enquanto o agregado dos produtos alimentares não transformados registou uma taxa de variação homóloga de 1,2% (1,5% em novembro e 0,9% em dezembro de 2015).

Em termos mensais, o IPC apresentou uma variação nula em dezembro (-0,5% e -0,3% no mês anterior e em dezembro de 2015, respetivamente).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma taxa de variação média anual de 0,6% em 2016, contra os 0,5% no ano anterior.

A taxa de variação homóloga situou-se em 0,9% em dezembro, superior em 0,4 pontos percentuais à observada em novembro de 2016 e inferior em 0,2 pontos percentuais à estimada pelo Eurostat para a área do Euro. Em dezembro de 2016, o IHPC apresentou uma taxa de variação mensal nula.

Os resultados apurados em dezembro de 2016 mostram ainda que o valor médio das rendas de habitação por metro quadrado de área útil registou uma variação mensal nula para o conjunto do país (0,3% no mês anterior).

A região com a variação mensal mais elevada foi a da Madeira, com uma taxa de 0,7%, enquanto a queda mais significativa no valor das rendas de habitação por metro quadrado de área útil registou-se na região dos Açores (-0,5%).

Em termos homólogos, as rendas de habitação aumentaram 2,3%.

Tomando o conjunto do ano 2016, a variação média anual do valor das rendas de habitação por metro quadrado de área útil fixou-se em 1,7% (variação de 1,1% em 2015).

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG