O empreendedorismo social na comunicação de ciência

Countdown to Web Summit 2022 com Joana Moscoso, diretora e cofundadora da Native Scientist, e Rafael Galupa, codiretor e cofundador da Cartas com Ciência.

Nas últimas semanas, mais de 500 desenhos e frases de estudantes (dos 6 aos 14 anos) que receberam o desafio de desenhar um/a cientista e de escrever o que fariam se fossem cientistas foram analisadas por três membros da Native Scientist, uma organização pan-europeia e sem fins lucrativos focada em promover a literacia científica e reduzir desigualdades.

As boas notícias são que, em primeiro lugar, as crianças continuam a ser uma fonte de inspiração - nas frases descreveram a vontade de viajar no tempo, curar todas as doenças do mundo ou acabar com a poluição.

Em segundo lugar, os desenhos deixam de mostrar um predomínio de representações de cientistas homens ou de cientistas de cabelos brancos no ar. Isto quer dizer que o trabalho que temos feito, enquanto cientistas e comunidade de comunicadores de ciência, tem funcionado. Contudo, está longe de estar terminado: uma grande proporção dos desenhos representa cientistas a solo, de pele branca, com bata, num laboratório. É preciso continuar a fazer caminho: a ciência não é só feita por pessoas brancas, a trabalharem isoladamente, numa área do saber que exige acesso a um laboratório. A ciência acontece em muitos contextos (em todos, na verdade) e não só é feita por uma diversidade de pessoas com diferentes características e identidades, como precisa dessa diversidade.

Através das organizações sem fins lucrativos que cofundamos - a Native Scientist, fundada pela Joana e pela Tatiana Correia, e a Cartas com Ciência, fundada pelo Rafael e pela Mariana Alves - contribuímos para promover a ciência e a diversidade na ciência atendendo à justiça social. O objetivo final? Que mais crianças e jovens se revejam na ciência e sintam que, se quiserem, também podem ser cientistas. Para alcançar esse objetivo, implementamos os nossos próprios programas educativos e de divulgação de ciência criando pontes entre cientistas e crianças de contextos menos privilegiados através de oficinas de ciências interativas ou de correspondências por carta e videochamadas. Direcionamos a nossa atividade especificamente a comunidades com uma maior probabilidade de insucesso escolar e/ou de ingressar no ensino superior, tais como comunidades rurais, migrantes e de baixo estatuto socioeconómico (que muitas vezes se cruzam). Paralelamente, capacitamos cientistas para comunicar ciência e alavancamos outras ideias e projetos com valores semelhantes, contribuindo para uma mudança no setor mais global e sistémica.

"O objetivo final? Que mais crianças e jovens se revejam na ciência e sintam que, se quiserem, também podem ser cientistas."

A chegada do empreendedorismo social à comunicação de ciência veio alargar não só os horizontes geográficos e demográficos de participação, com programas concebidos para alcançar especificamente comunidades desservidas, mas também a longitude, natureza e eficácia das ações, com programas que perspetivam a longo prazo, inovam na sua abordagem com o público-alvo, e recorrem a métodos científicos de avaliação de impacto. Porém, os desafios permanecem ao nível do financiamento, sustentabilidade e perceção da ciência como parte integrante da cultura da nossa sociedade, não só por membros da sociedade que trabalham em áreas não científicas mas em particular por entidades governativas e de financiamento. No aguardo de mais mecanismos de incentivo, iniciativas como as nossas continuarão a desbravar caminho. O nosso mote será sempre o de permitir que cada criança e jovem consiga atingir o seu potencial independentemente das discriminações e dificuldades associadas aos seus contextos e às suas identidades.

Nova rubrica

Countdown to WebSummit 2022 é uma nova rubrica no Diário de Notícias que antevê algumas das tendências que vão marcar o próximo encontro mundial das startups no final de outubro, em Lisboa. Até à semana do evento, estarão em análise as oportunidades e os desafios dos investidores, os exemplos inspiradores e as novidades que vão marcar a agenda dos empreendedores nacionais e mundiais. O palco passa por aqui, com a reflexão de especialistas numa nova série de artigos de opinião. O artigo hoje publicado tem as assinatura de Joana Moscoso, diretora e cofundadora da Native Scientist, e Rafael Galupa, codiretor e cofundador da Cartas com Ciência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG