Exclusivo O "empreendedor obstinado" que fez da farmácia uma multinacional 

Brunch com Paulo Barradas, farmacêutico, fundador e CEO da Bluepharma e dono do Torre da Palma Wine Hotel, em Monforte.

Num dia de sol de inverno, a esplanada do Altis Belém é excelente poiso para um brunch de final de manhã. É lá que me encontro com Paulo Barradas, sorriso na cara e otimismo na alma que alimenta a projetos, como bom empreendedor que é, não se deixando abater sequer pelas atuais dificuldades sem precedentes com as quais tem de lidar quem tem negócios em áreas de tamanha especialização. "É um momento difícil para as empresas", diz-me com a tranquilidade de quem aceita o que não pode resolver - como os "salários justos que se paga para os trabalhadores receberem remunerações injustas, dada a tributação demasiado alta que aqui se pratica" -, mas está sobretudo focado em encontrar soluções para o que se pode melhorar, acrescentar, tornar mais eficaz. Num momento em que enfrenta desafios como os custos de contexto a subir, a competição europeia e global, a luta por dar o seu melhor, pelo grupo que lidera e pelo papel que pode ter no robustecimento do país, o maior de todos é facilmente identificado: fixar talento muito qualificado. "No início, tinha o privilégio de não haver outras farmacêuticas em Coimbra e beneficiava da proximidade à belíssima universidade da cidade e tinha todo o talento que queria. Depois começaram a ir uns para fora e a arrastar quatro ou cinco... Mas agora, com esta desregulamentação, com o teletrabalho, com o sentido de pertença à organização a esbater-se e a possibilidade de trabalhar daqui para fora mais facilitada (tendo o custo de vida de Coimbra e o salário de Berlim), é mesmo uma ameaça. Temos de pagar melhor, mas nem sempre o negócio o suporta, com a competição que há no mundo e com os investimentos que fazemos..."

Pedimos torradas, café duplo para mim e chá verde para ele e Paulo vai-me guiando pelo caminho que percorreu desde os seus 22 anos, quando a farmácia do avô, em Pedrógão Grande, foi posta à venda e ele cobriu a proposta mais alta, ficando com o balcão por sua conta ainda no terceiro ano da faculdade, onde conheceu a mulher, Ana Isabel, e os sócios com os quais montou a Bluepharma. O grupo, hoje um dos mais empreendedores e inovadores no setor farmacêutico, presente em quatro países (Espanha, Angola, Moçambique e EUA) e que exporta 88% da sua produção para mais de 40 localizações, começou ali mesmo na Farmácia Estádio, em Coimbra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG