"Não desejo a ninguém ter que vender um banco num dia"

Centeno foi questionado sobre se estava "confortável" por ter participado num "processo que foi uma farsa" e cujo desfecho veio de fora de Lisboa

"A reação que me suscita a sua pergunta, e a forma como a vez, é a seguinte: não desejo a ninguém ter que vender um banco num dia", respondeu Mário Centeno depois de João Almeida, do CDS, ter questionado o responsável sobre o que sentiu em participar num processo cujo desfecho, no fundo, foi decidido longe de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG