Investimento cai 20% em abril face a março para 82,4 milhões de euros

Em março, o investimento tinha subido 16%, face ao mês anterior, para 103.662.586,8 euros

O investimento captado pelos vistos 'gold' caiu 20% em abril, face ao mês anterior, para 82,4 milhões de euros, de acordo com os dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Em abril foram atribuídas 130 Autorizações de Residência para a atividade de Investimento (ARI), das quais 121 foram concedidas por via de aquisição de bens imóveis e nove por transferência de capital, o que compara com 168 vistos 'gold' concedidos durante março.

Continua a não haver vistos dourados atribuídos mediante as novas regras, que entraram em vigor em setembro do ano passado.

Do total do investimento arrecadado em abril (82.413.310,20 euros), que representa uma quebra de 21,2 milhões de euros face a março, a compra de imóveis continua a representar a maior fatia (73.222.310,20 euros), com a transferência de capital a registar 9.191.000 euros.

Em março, o investimento tinha subido 16%, face ao mês anterior, para 103.662.586,8 euros.

Nos primeiros quatro meses do ano, o investimento ascendeu a 313.951.703,8 euros, mais 45% que em igual período de 2015, segundo a Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário (CPCI).

Entre janeiro e abril, o investimento por via da compra de bens imóveis ascendeu a 283 milhões de euros, enquanto o obtido pelo critério de transferência de capital atingiu 30,6 milhões de euros.

Em termos acumulados - desde que a medida entrou em vigor, a 08 de outubro de 2012, até 30 de abril último -, o investimento total já ultrapassou os 2.000 milhões de euros, mais precisamente 2.007.684.328,33 euros, dos quais 1.811.557.405,67 euros em bens imóveis e 196.126.922,66 euros.

"O procedimento de atribuição de vistos 'gold' está a normalizar e é natural que estabilize com oscilações pouco representativas. Ao mercado estamos a dar um sinal positivo e a demonstrar que, depois dos problemas que existiram, este programa está finalmente a funcionar normalmente, como seria expectável", refere hoje, em comunicado, o presidente da APEMIP - Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, Luís Lima.

Já na semana passada, o presidente da CPCI tinha considerado que os números de abril eram "dados animadores" que "permitem fundamentar uma expectativa positiva para os próximos meses, que é essencial para estabilizar níveis de confiança e alimentar um vetor de crescimento do investimento que se tem traduzido numa grande mais-valia, não só para a construção e imobiliário, mas também para a generalidade da economia, que está a tirar partido do interesse destes investidores no nosso país".

Desde que os vistos 'gold' entraram em vigor foram atribuídos 3.295 ARI: dois em 2012; 494 em 2013; 1.526 em 2014; 766 em 2015 e 507 até final de abril.

Em termos acumulados, desde a sua criação até final de abril, foram concedidos 3.112 vistos pelo requisito da aquisição de bens imóveis, 178 por transferência de capital, e cinco pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

A China lidera a lista de ARI atribuídas (2.545 até abril), seguida do Brasil (151), Rússia (111), África do Sul (88) e Líbano (50).

As novas regras para a obtenção de vistos 'gold', que alargam os critérios de investimento para cidadãos fora da União Europeia a áreas como reabilitação urbana e ciência, entre outros, entraram em vigor a 03 de setembro de 2015.

No ano passado, o investimento resultante dos vistos 'gold' caiu para metade, face a 2014, para cerca de 466 milhões de euros.