YouTube substitui algoritmos por humanos na vigilância de conteúdos mais vistos

O YouTube quer tornar a supervisão de conteúdos mais eficaz, substituindo os algoritmos por pessoas.

O YouTube quer reconquistar a confiança dos anunciantes depois das recentes polémicas e anunciou um conjunto de alterações na sua forma de operar. Além de o cada canal passar, a partir de agora, a precisar de 1.000 subscritores e mais de 4.000 horas de visualização num ano para poder ser "sugerido" a possíveis patrocinadores, a plataforma vai deixar de ter um algoritmo a monitorizar os vídeos publicados, passando a ter pessoas a supervisionar os conteúdos de maior sucesso, antes de serem comercializados.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).