YouTube substitui algoritmos por humanos na vigilância de conteúdos mais vistos

O YouTube quer tornar a supervisão de conteúdos mais eficaz, substituindo os algoritmos por pessoas.

O YouTube quer reconquistar a confiança dos anunciantes depois das recentes polémicas e anunciou um conjunto de alterações na sua forma de operar. Além de o cada canal passar, a partir de agora, a precisar de 1.000 subscritores e mais de 4.000 horas de visualização num ano para poder ser "sugerido" a possíveis patrocinadores, a plataforma vai deixar de ter um algoritmo a monitorizar os vídeos publicados, passando a ter pessoas a supervisionar os conteúdos de maior sucesso, antes de serem comercializados.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

No PSD não há inocentes

Há coisas na vida que custam a ultrapassar. A morte de alguém que nos é querido. Uma separação que nos parece contranatura. Ou uma adição que nos atirou ao charco e da qual demoramos a recuperar. Ao PSD parece terem acontecido as três coisas em simultâneo: a morte - prematura para os sociais democratas - de um governo, imposta pela esquerda; a separação forçada de Pedro Passos Coelho; e uma adição pelo poder que dá a pior das ressacas em política.