Web summit. Metro disponibiliza aquisição de títulos através da net

Vouchers podem ser levantados em todas as máquinas de bilhetes presentes nas estações da rede

O Metropolitano de Lisboa vai permitir a todos os participantes da cimeira da tecnologia Web Summit a aquisição prévia de títulos de transporte através de uma plataforma digital, com recurso ao pagamento com cartão de crédito, foi anunciado esta sexta-feira.

De acordo com uma nota divulgada pela empresa, "trata-se de um novo sistema de vouchers que permitirá a prévia aquisição de títulos, através de uma plataforma online que poderá ser acedida em qualquer parte do mundo".

O metro de Lisboa explica que, "através dessa plataforma, o cliente seleciona o tipo de passe pretendido, efetua o pagamento através de cartão de crédito (redes visa, mastercard e maestro) e recebe, por correio eletrónico, a confirmação de compra e o respetivo voucher que terá associado um código numérico de 14 dígitos".

O 'Voucher Viva' poderá depois ser levantado "em qualquer máquina de venda automática de bilhetes existentes nas estações do Metropolitano de Lisboa".

Para tal, o cliente tem de selecionar a opção 'tem voucher' e inserir o código que lhe foi atribuído previamente para que a máquina emita o cartão carregado.

Quanto à fatura, será "emitida no ato de compra e enviada por correio eletrónico em conjunto com o voucher", explicou a empresa.

A solução pretende "dar resposta ao aumento de passageiros previsto ocorrer durante o período de realização do Web Summit" e é uma parceria do Metropolitano de Lisboa com a OTLIS -- Operadores de Transportes da Região de Lisboa.

De acordo com o metro, a nova modalidade vai ser testada durante a Web Summit, mas o objetivo é que futuramente seja "generalizada a todos os clientes".

Na nota enviada às redações, é ainda salientado o "conforto de realizar a compra antecipadamente, podendo escolher o título mais adequado para a estadia planeada".

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa.

No ano passado, reuniu na capital cerca de 60 mil pessoas de 170 países, das quais 1.200 oradores, duas mil 'startups', 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

A edição deste ano, a terceira no país, realiza-se entre os dias 05 e 08 de novembro.

A cimeira da tecnologia e inovação Web Summit, que se manterá na capital por mais 10 anos, vai merecer um investimento de três milhões de euros e o Hub Criativo do Beato 20,3 milhões.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?