Vítor Gaspar preocupado com empresas "batoteiras" que fogem aos impostos

As empresas batoteiras ganham quota de mercado, mesmo sendo menos produtivas, e reduzem a participação das mais produtivas e cumpridoras, diz o FMI.

As empresas que "fazem batota" e declaram valores de faturação inferiores aos reais para fugirem aos impostos são, em regra, menos produtivas e prejudicam os níveis de vida das economias onde estão inseridas, denuncia o Fundo Monetário Internacional (FMI) num estudo publicado de forma antecipada do seu Monitor Orçamental (Fiscal Monitor), apresentado por Vítor Gaspar, o diretor da área de estudos orçamentais do FMI.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.