Vendas consolidadas da Sonae crescem 7,1% para 5,7 mil milhões

Lucros baixaram de 215 para 166 milhões, mas o grupo garante que os valores não são diretamente comparáveis. Dívida líquida reduzida em 103 milhões

A Sonae SGPS encerrou 2017 com um volume de negócios consolidado de 5,710 mil milhões de euros, um aumento de 7,1% face ao ano anterior. Num exercício marcado pela "melhoria da rentabilidade de todos os negócios", com o EBITDA subjacente a crescer 6,9%, para 336 milhões de euros, o grupo liderado por Paulo Azevedo e Ângelo Paupério obteve resultados líquidos de 166 milhões, menos 49 milhões de euros do que em 2016. O valor "não é diretamente comparável com o do ano anterior, nomeadamente devido ao efeito dos resultados não recorrentes", pode ler-se no comunicado enviado à CMVM.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.