Trump bloqueia OPA hostil da Broadcom a Qualcomm devido a "segurança nacional"

OPA poderia ser a maior do setor tecnológico, na ordem dos 95 milhões de euros

O Presidente dos Estados Unidos ordenou hoje à empresa de Singapura Broadcom que termine as tentativas para comprar a norte-americana Qualcoom, pela qual lançou uma OPA hostil de 117 milhões de dólares, considerando que ameaça a segurança nacional.

"A aquisição proposta da Qualcomm está proibida e qualquer fusão, aquisição ou inclusão substancialmente semelhante, seja direta ou indireta, também está proibida", afirma Donald Trump numa ordem presidencial.

O presidente norte-americano alegou que a operação de oferta pública de aquisição (OPA), que poderia ser a maior do setor tecnológico, na ordem dos 95 milhões de euros, "ameaça prejudicar a segurança nacional dos Estados Unidos".

A OPA colocaria a maior companhia norte-americana de produção de microchips para telemóveis nas mãos de uma empresa sediada na Ásia.

A Broadcom lançou a OPA hostil sobre a Qualcomm em novembro do ano passado a um preço de 70 dólares (cerca de 57 euros) por ação, que aumentou para 82 dólares (66,5 euros).

A administração da Qualcomm rejeitou as ofertas e Trump determinou no início deste mês que a empresa da Califórnia atrasasse uma reunião na qual os acionistas poderiam nomear novos elementos para a administração que poderiam estar relacionados com a OPA.

Ler mais