Todos os concelhos vão voltar a ter uma estação dos CTT

Novo líder dos Correios trava fecho de estações em 15 concelhos e responde a exigência do Governo.

"Não vai haver nenhum concelho sem estações dos CTT." A garantia foi deixada ontem, no Parlamento, por João Bento, novo presidente executivo. Não foi dado, no entanto, qualquer prazo para que 33 municípios voltem a ter uma estação.

"Vamos iniciar o processo de reabertura de lojas em concelhos que ficaram sem estações. Os dois primeiros casos serão divulgados nas próximas semanas", anunciou o gestor. As decisões do novo líder dos CTT servem como resposta ao "recado" deixado pelo ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, no final de abril.

"O contrato de privatização foi prejudicial para o povo português e a renegociação do contrato tem de passar por ter uma unidade dos CTT em todos os concelhos. Todos os municípios que perderam a sua estação dos correios têm de voltar a tê-la", referiu, na altura.

O atual contrato de concessão do serviço universal postal termina no final do próximo ano e a empresa quer prolongar esta ligação. João Bento travou ainda o fecho adicional de lojas, que deixariam mais 15 municípios sem estação dos CTT.

"Havia um conjunto de lojas para fechar cuja viabilidade económica era inexistente. A minha primeira prioridade é a proximidade aos clientes, todo o povo português. Está decidido: interrompemos o processo de fecho de lojas. Não vai haver mais encerramento de lojas."

O novo líder dos CTT estreou-se no Parlamento por causa de uma possível entrada do Estado no capital. "Enquanto estou na empresa, tenho a maior disponibilidade para a gerir, com ou sem o Estado", garantiu. O gestor assegura ainda que vai liderar a empresa de forma independente, mesmo que tenha saído da liderança do grupo Manuel Champalimaud, o maior acionista individual dos CTT, com 13,08% das ações.

Exclusivos