TAP investe "dezenas de milhões de euros" em novo simulador de voo

"A TAP precisa de treinar os seus pilotos. Este é um assunto muito importante. Precisamos de investir muito nisso", explicou o presidente executivo da empresa, Antonoaldo Neves.

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, destacou esta quinta-feira a importância do investimento de "dezenas de milhões de euros" no novo Centro de Simuladores de Voo da TAP, em Tires, Cascais.

Falando aos jornalistas à margem da inauguração, o gestor escusou-se a divulgar o valor do investimento realizado por estarem em causa acordos de confidencialidade com os seus fornecedores, mas falou em "dezenas de milhões de euros".

"A TAP precisa de treinar os seus pilotos. Este é um assunto muito importante. Precisamos de investir muito nisso. Não só por uma questão de segurança, que é o primeiro valor da TAP, mas também como uma questão de padrão operacional", disse.

Antonoaldo Neves lembrou que os anteriores simuladores da TAP "têm décadas" e este agora é "um simulador novo e moderno, com toda a tecnologia que têm os aviões mais modernos da TAP".

"Quanto mais investimos em treino, mais segura fica a empresa", sublinhou.

O presidente da TAP enalteceu, a propósito, o trabalho e a parceria com a Câmara de Cascais na construção do projeto instalado no Aeroporto de Cascais, em Tires, que segundo o responsável "conseguiu executar tudo em seis meses".

"Essa velocidade de entrega é para nós muito importante", disse.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.