Sport TV justifica corte de canais à Nowo com dívida por liquidar

Empresa dona dos canais desportivos interrompeu a emissão na operadora Nowo

A Sport TV já reagiu Nowo que acusou a dona dos canais desportivos de ter interrompido unilateralmente a emissão depois de ter apresentado condições "desleais, desadequadas e desajustadas face à realidade do mercado" no novo contrato. A Sport TV responde: Há uma "elevada dívida vencida" no fim do anterior contrato que "continua por liquidar". O valor da dívida não foi divulgado.

Desde as 00h00 de 9 de novembro que os clientes da Nowo (antiga Cabovisão) deixaram de poder ver os seis canais desportivos, depois de a Sport TV ter interrompido a emissão "por falta de acordo entre as partes."

O contrato entre a Sport TV e a Nowo terminou em julho e, "apesar das negociações para renovação entre as duas entidades terem sido iniciadas seis meses antes (fevereiro do corrente ano), não foi possível até julho chegar a novo acordo", informa a Sport TV.

A empresa fala ainda da existência de uma "elevada dívida vencida" que a Nowo já tinha "perante a empresa e que continua por liquidar". "A Sport TV acedeu ainda assim em manter o serviço, desde 01 de agosto até dia 08 de novembro, no sentido de não prejudicar os clientes Sport TV que acedem aos seus canais através deste operador, e, simultaneamente, preservar a relação de parceria entre ambos."

"Apesar desta cedência e do nosso serviço ter sido sempre assegurado, não houve até hoje qualquer pagamento da Nowo à Sport TV, seja por conta da dívida referente ao contrato antigo e já terminado, seja por conta dos serviços posteriores prestados até 8 de novembro de 2018. Durante todo o período em dívida, a Nowo continuou a cobrar aos seus clientes os serviços da Sport TV", acusam.

"Sport TV continuará empenhada em restabelecer o serviço dos seus 6 canais aos clientes da Nowo assim que a Nowo pretenda ultrapassar a atual situação."

Dívidas por pagar levou a Altice a pedir insolvência

Dívida por pagar foi também o que levou a Altice Portugal a avançar em setembro na justiça contra a Nowo e a Oni, pedindo a insolvência da empresa. As partes chegaram, entretanto, a acordo, confirmou Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal.

"Chegámos a um acordo", confirmou o gestor, quando questionado pelos jornalistas sobre o tema durante a Web Summit, sem especificar de que resulta esta dívida de cerca de seis milhões de euros.

Este acordo foi unicamente de "caráter financeiro", sublinhou, salientando que uma parte da dívida foi liquidada no dia 6 de novembro e "outra parte foi alvo de acordo de pagamento".

Guerra de conteúdos desportivos

Os conflitos entre entre a Nowo/Oni e empresas do sector das telecomunicações e de media têm surgido num momento em que a operadora, entretanto adquirida pelo fundo KKR, tem estado como representante comercial da Eleven Sports a negociar com as operadoras Altice (dona do Meo), NOS e Vodafone a entrada dos canais e conteúdos da empresa britânica em grelha há vários meses. Sem sucesso.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Ler mais

Exclusivos