Rede da madrugada da STCP com 360 mil passageiros no primeiro semestre do ano

Serviço é procurado por estudantes universitários, trabalhadores do período noturno e para fins de lazer

O serviço da madrugada da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) transportou 360 mil passageiros no primeiro semestre deste ano, mais 4% do que em igual período de 2017, informou a operadora esta terça-feira.

A rede da madrugada da STCP está em funcionamento desde o ano de 2005, de forma ininterrupta, e já transportou um total de mais de sete milhões de passageiros.

"A adesão das pessoas a esta operação tem vindo sempre em crescendo acentuado nos últimos cinco anos" e "os números prometem continuar a subir", sublinha a STCP, em comunicado, destacando a procura por quem trabalha em horário noturno, por estudantes universitários, "bem como para aqueles que frequentam a 'movida' da Baixa do Porto, sem terem custos acrescidos em termos de estacionamento".

O serviço da madrugada da STCP funciona 365 dias por ano e compreende 11 linhas que garantem, entre a 00:30 e as 06:00, as ligações entre a cidade do Porto e os concelhos periféricos de Vila Nova de Gaia, Gondomar, Maia, Matosinhos e Valongo.

A maior parte das linhas da rede da madrugada - nove num total de 11 - têm o seu início na avenida dos Aliados, no centro do Porto, todas com partida às 01:00, 02:00, 03:00, 04:00 e 05:00.

No sentido inverso, o serviço começa às 00:30 e faz a última partida às 05:30, com chegada ao Porto às 06:00.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).