Saiba como reiniciar qualquer smartphone bloqueado

Ficou o telemóvel bloqueado? Estas são as formas de reiniciar o seu gadget mais precioso, tenha Android ou iOS.

Cada smartphone, sua sentença. Que é o mesmo que dizer, cada marca de telemóvel, uma forma diferente de obrigar o modelo a reiniciar, numa altura em que parece complemente bloqueado e não lhe permite fazer nada com ele. Muitos ficam com o ecrã ligado e "congelado", há muitas formas de um smartphone ficar bloqueado.

Se for uma falha pontual ou um bloqueio esporádico, há uma maneira de recuperá-lo, através de uma combinação de teclas que nos permitem reiniciá-lo com segurança. O que se segue são as formas diferentes como pode reiniciar um telefone com sistema Android ou iOS.

Um smartphone Android

Hoje em dia quase todos os telemóveis que estão à venda não têm bateria removível. Essa era a maneira mais simples de reiniciar um telemóvel no passado recente. Bastava remover a bateria e já estava. Podia reiniciar o telefone, mas hoje essa é cada vez menos uma opção viável. Em Android, há várias combinações de botões físicos que podem permitir reiniciar o telefone. Como há marcas e modelos diferentes com esse sistema operativo, o melhor é ir tentando as combinações. Estas são algumas:

- Pressione e segure o botão de ligar o telefone até 30 segundos

- Pressione e segure os botões de ligar e de volume ao mesmo tempo por alguns segundos

- Pressione e segure os botões de ligar e de volume (para aumentar ou o botão de reduzir o som) ao mesmo tempo por alguns segundos

Devemos tentar estas combinações na ordem certa e, na maioria dos casos, vai dar resultado. Ou seja, o telefone vai reiniciar ou, eventualmente, desligar por completo (depois pode voltar a ligar).

Reiniciar um iPhone X ou posterior

No caso dos utilizadores do sistema iOS, existem dois métodos, e isso depende diretamente do telemóvel da Apple que tem. No caso de um iPhone X ou posterior, deve fazer o seguinte.

- Pressione e segure o botão que liga o telefone (do lado direito) e qualquer um dos botões de volume até que o botão de reset apareça no ecrã.

- Arraste o botão para desligar o iPhone;

- Depois do iPhone desligar, pressione o botão lateral novamente até o logótipo da Apple aparecer.

Reiniciar um iPhone 8 ou anterior

No caso de ter um iPhone mais antigo, como o iPhone 8 ou anterior, deve seguir o seguinte procedimento:

- Pressione e segure o botão superior (ou lateral) até que o botão de reinicialização apareça no ecrã.

- Arraste o botão para desligar o iPhone

- Depois do iPhone desligar, pressione o botão superior novamente até que o logótipo da Apple apareça. Se o telefone não reagir na mesma, carregue nos dois botões durante vários segundos, até ele voltar a reiniciar.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz amanhã, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.