Preços dos transportes públicos sobem 1,5% em 2017

Informação foi avançada pelo secretário de Estado Adjunto e do Ambiente

Os preços dos transportes públicos vão ter uma atualização de 1,5% em 2017, disse o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente ao Negócios, assegurando porém que "as famílias portuguesas vão pagar menos" através de deduções fiscais.

José Mendes garantiu que o Governo avançará com um conjunto de medidas que "esmagam" o aumento.

As famílias vão poder deduzir à coleta do IRS um montante equivalente a 100% do IVA suportado na aquisição de passes mensais, que é de 6%, avança.

Ao Negócios, o secretário de Estado dá o exemplo de uma família com três elementos que tenham o passe Navegante, que custa 35 euros mensais, que passarão a poder ter uma dedução anual à coleta do IRS de 75 euros, sem que haja necessidade de sujeição a condição de recursos.

Os estudantes universitários até aos 23 anos vão, a partir de do ano letivo 2017/2018, poder aceder a um desconto de 25% do valor do passe mensal.

A título de exemplo, José Mendes disse que, num ano, esse estudante universitário vai ter um desconto de 105 euros.

O governante justifica a aplicação do desconto a todos os estudantes universitários com a intenção de tentar "trazê-los para o sistema de transporte público".

"No deve e haver, para uma família com três elementos, a atualização tarifária dos passes Navegante resulta num aumento de apenas 18,9 euros, quando ao mesmo tempo a dedução à coleta vai significar um benefício de 75 euros. E se for um aluno universitário acrescem mais cerca de 100 euros", explica.

José Mendes defendeu a necessidade de "olhar para estas medidas no conjunto", sublinhando que o governo "não pensou apenas num aumento da tarifa de 1,5% sem pensar noutras medidas para tornar mais acessível o transporte público".

Em 2015 e 2016 não houve aumentos dos transportes públicos.

Este ano, o aumento de 1,5% - a previsão para a inflação -- "corresponde a um acompanhar do aumento dos custos de produção", refere ainda o secretário de Estado ao Negócios.

O Negócios avança que o Governo pretende que o processo de atualização tarifária nos transportes públicos passe a ser feito "com base num mecanismo automático ou semiautomático".

José Mendes adiantou ao jornal que o governo já tem "estudos avançados" nesse sentido, argumentando que esse processo "criaria transparência e retiraria a arbitrariedade do Estado na decisão de atualização das tarifas".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.